segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Não nos Roubarão a Esperança - Júlio Magalhães


ADOREI! Literatura aliada à história, dois ingredientes perfeitos para o sucesso da obra. Mais uma vez o Júlio Magalhães a não me desiludir. 


Lição de vida a reter:

"O mais difícil de conseguir na vida é a tolerância. Compreender as pessoas que estão à nossa volta, aceitar as suas diferenças de coração aberto. Essa capacidade de tolerar, de deixar os outros ter a sua vida do modo que entenderem ser o melhor, não querer impor-lhes as nossas ideias e tudo o que julgamos serem certezas absolutas."

Para os mais curiosos: O meu livro favorito do Júlio Magalhães chama-se "Longe do meu coração" e retrata a vida de um jovem que partiu para França em busca de uma vida melhor. Uma história de vida em muito semelhante à do meu avô.

35 comentários:

  1. Não sabia que o Júlio Magalhães escrevia...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Escreve e escreve muito bem. :) Não há um único livro dele que eu não tenha gostado.

      Eliminar
  2. Nunca li nenhum livro do Júlio Magalhães :)

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. Aconselho-te a leres, são muito bons. :)
      É uma óptima lição de vida. :D

      Eliminar
  4. Adorei +.+
    Adorei a Lição de vida.
    O teu livro preferido já li e gostei mesmo muito da história, em algumas partes chorei principalmente porque sei que aquelas histórias são baseadas na realidade.
    A vida dos portugueses sempre foi muito dificil!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para além de ser um livro que conta uma história em muito parecida com a do meu avô, a forma como está escrita é emocionante. Dá-nos a conhecer o que muitos dos nossos antepassados sofreram quando abandonaram o nosso país em busca de uma vida melhor. :)
      Sim, a vida dos portugueses sempre foi difícil... Mas penso que antigamente as pessoas eram mais lutadoras e arriscavam mais, partiam para outros países em busca do incerto, não sabiam o que iam encontrar, não conheciam a língua e pouco ou nenhum dinheiro levavam e além disso viajavam em condições desumanas. Hoje em dia emigrar é mais fácil, mas ninguém arrisca, os jovens acomodaram-se, muitos preferem queixar-se em vez de partir em busca de novas oportunidades.

      Eliminar
  5. Não faz de todo o meu género de livros mas acredito que os livros dele sejam muito bons. Não que tenha muito a ver, mas gosto imenso de ver as entrevistas dele por isso sempre presumi que os livros também fossem bons.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, eu já li todos os livros que ele escreveu e adorei. Escreve com sentimento e são livros acessíveis em termos literários, livros que qualquer um pode ler e perceber, são simples. :)

      Eliminar
  6. Eu também por vezes farto-me e tiro tudo, depois lá me lembro de os por outra vez e ando com eles. Fico sempre a pensar "e se depois quero-os outra vez? Não vou estar a deixar os furos fecharem"
    Adoro dreamcatchers :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também gosto de dreamcatchers, são cheios de significado. :)
      Eu faço infecções muito facilmente por isso não me faz diferença deixar os furos taparem... Não posso usar brincos.

      Eliminar
  7. e não é fácil controlar, pois não?

    ResponderEliminar
  8. nunca li, mas acho que aqui também não há :S

    ResponderEliminar
  9. Pois parecem xD Ou seja: completamente eu xD

    ResponderEliminar
  10. Adorei o teu blog, portanto tornei-me tua seguidora! ;)

    Bem, aqui fica um livro para a minha lista de (ainda) não lidos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. :)
      Este vale mesmo a pena ser lido. :)

      Eliminar
  11. Esse não conheço mas parece-me ser muito muito bom :)

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  12. O que nós temos é mesmo uma amizade, é preciso muito para destruir isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ainda bem que é assim. Há que preservar essa amizade. :)

      Eliminar

Never look back, if Cinderella went back to pick up her shoe, she wouldn't have become a princess ♥